beauty

União da ciência com a natureza

Vamos para as curiosidades da ciência? Hoje em dia, muitas pessoas atrelam o que é orgânico à classificações generalizadas (o que é orgânico é bom e o que é natural também) mas do ponto de vista da ciência, nem sempre é assim.

🔹A química orgânica é aquela que compreende aos compostos de carbono. Isso significa que tanto moléculas benéficas e maléficas se enquadram nessa categoria.

🔹Compostos orgânicos, podem ser obtidos ou não de organismos vivos. A partir da década de 1780 que surgiu a classificação entre compostos orgânicos (obtidos a partir de organismos vivos) e inorgânicos de fontes não vivas.
Aliás, compostos orgânicos podem ser obtidos através de fontes inorgânicas em que primeira síntese foi conseguida por Friedrich Wohler em 1828.

🔹Um ingrediente natural pode ser orgânico ou não. Isso inclui os temidos derivados de petróleo (uns classificados como “ingredientes do mal” e outros inertes e vistos como seguros, já que os que são utilizados nos cosméticos, são refinados e não possuem vestígios dos HC’s aromáticos providos da queima do combustível – apontados como cancerígenos em algumas pesquisas*).

💄E na hora dos cosméticos? 👄

Para não confundir quem ama ciência e quer ter segurança nos produtos que utiliza, certificadoras foram criadas para trazer uma nova definição aos termos “orgânico” e “natural” (acessem as diretrizes do IBD, é muito informativa!).

Partindo desse ponto de vista, as certificadoras possuem uma lista de ingredientes “proibidos”, já que muitos trazem riscos à saúde ao serem utilizados.

Ingredientes proibidos de acordo com as certificadoras em geral:

⁉️Corantes sintéticos: corantes obtidos por síntese química que podem causar irritação e serem considerados não seguros por maior probabilidade de contaminação de metais pesados.

Fragrâncias sintéticas: obtidas pela mistura de notas aromáticas sintéticas, ou notas aromáticas sintéticas associadas a óleos essenciais são, portanto, não permitidas.

Polietilenoglicóis (PEGs): obtidos através da polimerização do óxido de propileno e pela copolimerização dos óxidos de propileno e etileno. Sendo assim, PEGs, ou ingredientes derivados deles, não podem absolutamente ser usados em formulações orgânicas e naturais.

Quaternários de amônio: obtidos pela alquilação completa da amônia ou outras aminas. Se as aminas não forem naturais, ✔️apesar do processo ser permitido, o produto final não será aceito como orgânico ou natural.

⁉️Silicones: o termo silicone se refere a vários diferentes compostos formados por um núcleo de silício combinado com oxigênio (-Si-O-Si-). São fabricados a partir da areia. Apesar de ser a areia um produto natural, os diferentes tipos de silicones são obtidos a partir da manipulação química deste material, mudando completamente o ingrediente básico. Qualquer tipo de silicone é proibido em produtos orgânicos e naturais (como os parabenos – mas atentem-se, na ciência sempre existe uma exceção à regra e queremos que as certificadoras sejam mais específicas ao longo do tempo com novas pesquisas surgindo).

Conservantes: todos os conservantes sintéticos são proibidos em formulações orgânicas e naturais. Para este tipo de formulação devem-se utilizar os conservantes naturais ou de grau alimentício.

Dietanolamidas (DEA): componentes de formulação obtidos a partir da condensação de ácido graxo de coco ou babaçu com uma dietanolamida sintética.

⁉️Os seguintes derivados de petróleo: petrolatum, óleo mineral, vaselina líquida ou parafina.

⁉️Como essas diretrizes impactam nos nossos produtos⁉️

Primeiramente, todos nossos produtos são livres de:

                parabenos

                ftalatos

                triclosan

                laurel sulfato de sódio

                derivados de animais

                PEG’s

                EDTA

                BHT

                DEA

                fragrâncias sintéticas

                quaternários de amônio (como cloreto de Cetil Trimetil Amônio; Cloreto de Lauril Trimetil Amônio; e Cloreto de estearalcônio)

                petrolatum

                vaselina líquida

                parafina

                óleo mineral

                glúten

Tendo essa lista em vista, muitos produtos da Arielle Morimoto Cosmetics são passíveis de certificações (aliás, já estão em fase final), no entanto, alguns ainda não são por possuírem alguns pigmentos sintéticos (inclusive os lápis de olho que estão chegando, + info a seguir!).

Os nossos pigmentos, quando sintéticos, são testados para pureza e possibilidade de alergias. Infelizmente nem todos fornecedores possuem essa preocupação com tais práticas de segurança e por isso várias diretrizes não permitem o uso deles para o processo de certificação de produto natural e/ou com ingredientes de cultivo orgânico.

Lembrando que de acordo com a ciência, petróleo é considerado natural, porém no caso das certificações alguns são banidos por questões de sustentabilidade (não levando em consideração o processo de refinação aceito por órgãos regulatórios como a ANVISA, FDA e Europe Commission) e/ou serem mais propensos a entupir os poros e causarem dermatites.

💄LANÇAMENTO DOS LÁPIS DE OLHO 👄

Será o primeiro lápis VEGANO, brasileiro, certificado pelo Peta e com porção de ingredientes naturais!

Nesse caso, não utilizamos os derivados de petróleo banidos e:

Excluímos todos os ingredientes da blacklist acima

Conseguimos utilizar 20% de ingredientes naturais, sem cera de abelha

Alto pay-off

Cor intensa

Desliza suavemente devido à presença de glicerídeo de côco hidrogenado e cera de carnaúba

Ótima fixação

Polímeros formadores de filme: totalmente seguros de acordo com FDA e CIR

Oftalmologicamente testada para diminuir ao máximo o risco de irritações e mantendo ao mesmo tempo a durabilidade e fixação.

*essa formulação não é natural e com insumos de cultivo orgânico, já que possuem componentes sintéticos e alguns tipos de ceras hidrofóbicas. É o exemplo perfeito da união da ciência com a natureza, já que os ingredientes presentes na formulação são seguros para o uso (temos como exemplo a cera microcristalina, que apesar de ser um derivado do petróleo, é uma alternativa para não utilizar parafina).

Pra finalizar esse post, gostaríamos de reiterar que, como uma marca nova, queremos crescer juntamente à demanda dos nossos consumidores e JAMAIS desmerecer a cosméticas natural para justificar nossas escolhas nas formulações.

Então vamos celebrar as conquistas que conseguimos nas formulações e qualidade dos produtos, já que somos uma empresa independente!

Gostaram do post? Têm alguma dúvida? Comentem aqui embaixo que responderemos o mais breve possível ❤️